Navigation conteúdo Atividades na Áustria

Semanas Festivas de Música Antiga de Innsbruck

O futuro do barroco: durante a Renascença e o Barroco, Innsbruck é um dos centros musicais da Europa. As semanas festivas de Innsbruck, o mais remoto festival de música antiga que chegou até os nossos dias, dão continuação a esta tradição.

 © Larl
Innsbruck é a cidade onde residiram os Habsburger, da Idade Média à época barroca, atraindo assim os mais notáveis músicos da época. Mestres, tais como Paul Hofhaimer, Heinrich Isaac e Pietro Antonio Cesti resolviam permanecer na cidade alpina, trabalhando como músicos da corte. Havia óperas pomposas no primeiro teatro ao ar livre em um espaço de língua alemã.

Desde de 1976, durante os meses em agosto, as Semanas Festivas dão prosseguimento a esta tradição. Considerado um dos festivais mais conhecidos dentre outros de mesmo estilo, se tornou local de acolhimento de famosos intérpretes de música antiga. Nicolaus Harnoncourt, John Elliot Gardiner, Alan Curtis, Jordi Saval e Sigiswald Kuijken exerceram influência, e René Jacobs, durante muitos anos, foi o responsável pelo festival. Além dos mais conhecidos conjuntos originais, cantores de ópera famosos, como Jennifer Larmore e o contratenor Derek Lee Ragin, já atuaram no festival. Alessandro de Marchi é o diretor artístico das Semanas Festivas de Innsbruck desde 2010.

As Semanas Festivas são acompanhadas por um programa em paralelo e os eventos backstage permitem dar uma espiada no que acontece atrás dos palcos. Nos concertos vespertinos no Hofgarten (Jardim da Corte), é possível comer, beber e ouvir música gratuitamente. Há também músicos ambulantes que enchem as praças da cidade, como os Tiroler Erzherzöge. O apogeu do Renascimento ressurge durante a Schlossfest (Festa do Castelo), no Schloss Ambras, (Castelo Ambras). Durante a “Langen Nacht der Musik” (Longa Noite da Música) ouve-se música antiga até às primeiras horas da manhã.

O Schloss Ambras, com a sua famosa sala espanhola, uma pérola cheia de luz da época renascentista, a enorme sala do Hofburg, que Maria Theresia mandou conceber no estilo rococó vienense, e a Silberne Kapelle (Capela Prateada) da Hofkirche (Igreja da Corte) constituem, além de outros locais históricos, o espaço ideal para a encenação de opulentas óperas e apresentações de conjuntos famosos.

Em 2011, o Festival abre com “Flavius Bertaridus, König der Longobarden”, de Telemann, sua única ópera séria preservada. O Drama per musica “Romolo ed Ersilia, de Johann Adolf Hasse, volta a ser apresentado 245 anos após sua estreia em Innsbruck, sob a direção de Attilio Cremonesi. No projeto de novos talentos BAROCKOPER:JUNG será apresentado o Drama per musicaLa Calisto”, de Francesco Cavallis.

Data:
Innsbrucker Festwochen der Alten Musik 10 – 28/08
Ambraser Schlosskonzerte
12/07 – 2/08
www.altemusik.at