Navigation conteúdo Atividades na Áustria

wean hean

A canção vienense, Freud e pop: não foi a insistência na tradição, mas sim a evolução da canção vienense, a responsável pela criação o wean hean, o Wienerliedfestival (Festival da Canção Vienense).

 © Mario Lang

Roland Neuwirth, líder dos Extremschrammeln, afirma que: “Os Mizzi Starecek ou Maly Nagl deixaram em mim a mesma sensação intimista das apresentações suaves de Bessie Smith ao cantar 'Far Away Blues'. Ele diz também que um mundo novo se abriu à sua frente, muito mais exótico que o antigo Mississippiblues, quando se deparou com gravações antigas da canção vienense e encontrou assim o seu meio de expressão adequado. Há que agradecer aos pioneiros, como Roland Neuwirth, o fato de, assim como a própria cidade de Viena, a canção vienense se ter aberto ao mundo.

O fato da canção vienense deixar os subúrbios e, durante quatro semanas, tornar-se o centro das atenções, é mérito do wean hean. Neste festival, a canção nada perde da sua anarquia, humor não convencional, espírito de contradição e inconformidade. Caso continuemos com um narcisismo neurótico, a canção vienense também pode se deitar no sofá do Freud-Museum (Museu de Freud). Além disso, a canção vienense amplia nossos horizontes, podendo ser ouvida tanto em servo – em um compasso de 7/4 - como sob forma de reggae clássico. Foi também por isso que os organizadores do programa iniciaram com Istambul uma parceria entre cidades, com o nome de “Daham im Hamam”. 

Além dos grandes nomes, como Roland Neuwirth, Karl Hodina, o “Kollegium Kalksburg” e também dos velhos mestres da mais pura canção vienense, busca-se sempre novas colaborações. Tudo isto acontece em solo tradicional, por exemplo, no Ottakringer Bockkeller, o centro da canção vienense, ou no rústico Heurigen. Entretanto, também se toca música no Jazzclub Porgy & Bess, na Palmenhaus de Schönbrunn, no Technisches Museum (Museu Técnico) e em muitos outros locais por toda a cidade, onde, de modo divertido, não convencional e anarquista, se insinuam as limitações existentes na cabeça de cada um de nós.

Data: maio de 2011
www.weanhean.at